Horário de Lisboa: € Cotação: Euro Hoje

Fugir da correria dos grandes centros, viver com tranquilidade, mas sem perder no conforto, infraestrutura ou oportunidades de trabalho e estudo. Este texto é para você que busca cidades pequenas de Portugal para morar.

Apresentamos aqui uma lista com opções de Norte a Sul do país de localidades onde vivem menos de 60 mil habitantes.

Vale a pena morar em uma cidade pequena em Portugal?

A resposta é: depende. Algumas cidades menores, como vamos mostrar aqui, tem excelente estrutura, com acesso a transporte público de qualidade, universidades, shopping centers, hospitais e, em alguns casos, estão bem próximas de centros maiores – o que facilita em diversos aspectos.

Por outro lado, as oportunidades de trabalho costumam ser menos variadas e com salários bem básicos – ainda que existam exceções. 

O custo de vida, como veremos a seguir, costuma compensar, especialmente no que diz respeito ao valor dos aluguéis. A possibilidade de economizar com custos de transporte e deslocamento também é algo a ser levado em consideração.

As possibilidades de lazer, em alguns casos, também são reduzidas, então é preciso levar em consideração o seu estilo de vida. 

As cidades que vamos mostrar tem relativa estrutura de bares, restaurantes, parques e outras opções para aproveitar o tempo livre, mas é bom ter em mente que nem todas são assim.

Então, antes de se decidir, uma pesquisa aprofundada sobre cidades pequenas de Portugal é a melhor escolha – esperamos que nossa lista possa ajudar nesse sentido. Dividimos por região para que fique mais fácil de você se localizar:

Cidades pequenas de Portugal na região Norte

Antes de escolher uma cidade para chamar de sua ao norte português é preciso levar em consideração um fator que independe do tamanho da cidade, seja ela grande ou pequena: o clima.

Essa região do país é onde as temperaturas são mais baixas na média anual – 13°C, apesar de chegar aos 38°C no verão – e onde mais chove. 

Em Braga, por exemplo (que não entra em nossa lista por já ter quase 200 mil habitantes, mas é uma das principais localidades), costuma chover 1252 mm por ano, a cidade mais chuvosa de Portugal – a época com maior precipitação vai de outubro a maio.

Se isso não for um problema pra você, vai se encantar com as possibilidades de cidades pequenas de Portugal para morar.

Viana do Castelo

Viana do Castelo é conhecida como “A pérola do Minho”, capital do distrito com o mesmo nome. No município, dividido em 27 freguesias, vivem pouco mais de 85 mil habitantes – destes, aproximadamente 40 mil na cidade de Viana do Castelo.

Podemos destacá-la dentre as cidades pequenas de Portugal pela proximidade do Porto – pouco mais de 70 quilômetros, o que de transporte público representa aproximadamente 1h15 (o município possui estações férrea e rodoviária). Além de um belo patrimônio histórico e arquitetônico, a localização no litoral (apesar das águas mais frias) também é um atrativo. A pequena distância da Espanha (cerca de 40 km) é outro quesito a ser levado em consideração.

Viana do Castelo tem um Instituto Politécnico que leva o nome da cidade e oferece 24 licenciaturas e 33 mestrados, dentre outras opções de formação.

Quanto ao custo de vida: o aluguel de um apartamento de um quarto gira em torno dos 400 € – pode ser mais ou menos, dependendo da localização; o bilhete de ônibus custa 1,48 €, sendo o passe mensal 35€.

Em Viana do Castelo, o salário médio é 775€. No verão, existem mais oportunidades de emprego devido ao turismo, especialmente em bares, cafés e restaurantes. Também por isso, a cidade oferece boas oportunidades de lazer, incluindo shopping center e grandes redes de livrarias, fast food, cinemas, entre outros.

Vila Real

Vila Real está a cerca de 450 metros de altitude, sobre a margem direita do rio Corgo (um dos afluentes do Douro), num planalto rodeado de altas montanhas em que avultam as serras do Marão e do Alvão. É sede do concelho e capital do distrito de mesmo nome e compreende 20 freguesias, onde vivem aproximadamente 50 mil habitantes – destes, mais da metade estão na cidade de Vila Real propriamente dita.

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro é um dos principais motivos de destacarmos Vila Real dentre as cidades pequenas de Portugal para morar. Ela recebe mais de 7 mil estudantes de 40 países e se destaca pelo eco-campus que integra um dos maiores Jardins Botânicos da Europa.

Além disso, tem um vasto patrimônio arquitetônico, muitas belezas naturais, gastronomia irresistível e boa localização: está a menos de 100km do Porto e 65km da fronteira com a Espanha. O Plano Ferroviário Nacional deve voltar a incluir Vila Real no serviço de trens, já que este foi desativado em 2009.

Sobre o custo de vida: o aluguel de um apartamento de um quarto gira em torno dos 320 € – pode ser mais ou menos, dependendo da localização; o tarifário de ônibus varia entre 1,05 € e 1,55 € (zonas 1 e 2 respectivamente).

Segundo o Instituto Nacional de Estatística, o salário médio fica em 798€ e a cidade oferece boas oportunidades de lazer, incluindo shopping center e grandes redes de livrarias, fast food, cinemas, entre outros. A produção agrícola ainda ocupa um espaço de relevo na economia local, especialmente porque parte do distrito é ocupada pelo denominado douro vinhateiro, ou seja, a encosta do vale do rio Douro onde ficam as vinhas das quais se extraem as uvas para fazer, por exemplo, o célebre Vinho do Porto.

Cidades pequenas de Portugal na região Centro

Oito ou oitenta. Em termos de clima, o centro do país é assim, especialmente na região mais afastada do litoral: invernos chuvosos e rigorosos (com direito a neve em muitos pontos), verões bastante secos e com temperaturas que, não raramente, atingem os 40°C.

De qualquer modo, essa é uma região com uma paisagem bastante variada, que passa pelas margens de grandes rios, áreas mais urbanizadas, montanhas (incluindo o ponto mais alto de Portugal Continental e que conta até com estação de esqui) e locais com vegetação mais densa. 

Selecionamos dois locais com possibilidades distintas como sugestão de cidades pequenas de Portugal para morar:

Viseu 

Um lugar para ser feliz. Esse foi o título recebido pelo concelho de Viseu em 2018 a partir de um estudo da associação “Escolha do Consumidor”. Em 2012 a localidade já havia sido destaque e em 2021, outra pesquisa feita pela DECO Proteste colocou a cidade (sede do concelho e capital do distrito de mesmo nome) como aquela com melhor qualidade de vida em Portugal.

Já são motivos suficientes para olhar com mais atenção para esta dentre as cidades pequenas de Portugal para morar. A freguesia de Viseu tem apenas 25 mil habitantes, enquanto o concelho como um todo (e suas 25 freguesias) abriga quase 100 mil pessoas. O aeroporto mais próximo fica no Porto, a 127 km e até o litoral, em Aveiro, leva menos de uma hora de carro.

Morar em Viseu é se deparar com belezas naturais, parques e espaços verdes perto dos rios Vouga e Dão. Além disso, as ruas são tranquilas e a população local é receptiva. Também é uma oportunidade para apreciar excelentes vinhos, pelo fato de ser rodeada de vinhedos: está na Região Demarcada do Dão, a segunda mais antiga do país para a produção da bebida.

Em termos de educação, o Instituto Politécnico de Viseu disponibiliza aos estudantes cursos de licenciatura, mestrado, entre outros. A cidade também sedia um Campus da Universidade Católica Portuguesa e tem 116 escolas. 

Quanto aos aluguéis, um apartamento de um quarto no centro custa entre 350 € e 500 €, mas em outras regiões da cidade é possível encontrar preços ainda melhores. Uma curiosidade: a tarifa de ônibus teve redução de 0,05€ em 2021 (custam de 0,45 € a 1,30 €, já que a cobrança é feita por região) e os idosos passaram a ter 50% de desconto no passe. Existem ainda bilhetes turísticos e alguns específicos para a região do centro histórico.

O salário médio é superior ao que se encontra na maioria das cidades menores de Portugal, segundo o INE, 826 €. O setor de serviços ocupa 83% da população. Dentre as atrações de lazer, além de shoppings, bares e restaurantes, estão as festas populares e o belo patrimônio histórico. 

Covilhã

Uma cidade tranquila, com bons níveis de saúde, segurança e educação – incluindo uma das principais Universidades do país. É o que oferece a Covilhã, cujo centro está distante apenas 20km do ponto mais alto de Portugal continental: a Torre, na Serra da Estrela (Geopark mundial da UNESCO, onde no inverno neva em grandes quantidades, ao ponto de ter uma estação de esqui).

Covilhã é sede de concelho do mesmo nome (com aproximadamente 51 mil pessoas vivendo nas 21 freguesias), pertence ao distrito de Castelo Branco e tem, na cidade, cerca de 20 mil habitantes. Fica a 278 km de Lisboa, a 248 km do Porto e a pouco mais de 50km da fronteira com a Espanha. A cidade possui ligação férrea e rodoviária com as principais cidades do país. 

Os motivos para considerar Covilhã uma boa opção dentre as cidades pequenas de Portugal para morar vão além das belezas naturais que encantam os visitantes em qualquer estação do ano. A boa infraestrutura, com shoppings, cinema, bares e restaurantes, chama a atenção, assim como a Universidade da Beira Interior. A UBI está entre as mais conceituadas do país e tem, inclusive, curso de Medicina – que atua também junto ao Centro Hospitalar Cova da Beira – bem como opções de mestrados e doutorados em diferentes áreas.

Conforme o INE, o salário médio na cidade é 750 €. A atividade industrial ainda é representativa, mas não tanto quanto outrora, quando os lanifícios faziam da Covilhã um polo econômico. Hoje, o turismo e os serviços representam parte importante da economia.

Encontrar um bom lugar para morar nessa cidade e com preços atrativos depende muito da época do ano em que você buscar o imóvel, isso porque o período de início das aulas na Universidade – com as alterações em termos de oferta e procura – modificam bastante os valores. De modo geral, é possível encontrar apartamentos de um quarto por 300 €. O bilhete de ônibus custa entre 1,30 € e 1,45 €, com a disponibilidade do usuário adquirir passes para diferentes períodos – com descontos – com validade desde sete dias até um ano.

Cidades pequenas de Portugal – Algarve e área metropolitana de Lisboa

Para encerrar nossa lista trazemos duas opções em distintas regiões do país (e também com propostas diferentes), mas com clima semelhante: Montijo, na área metropolitana de Lisboa, e Portimão, no Algarve. Ambas tem clima mediterrânico, o que se caracteriza por verões bastante quentes e secos, com pouca chuva, e invernos mais úmidos, porém, ainda assim, com temperaturas um pouco mais amenas que em outras regiões de Portugal.

Montijo

Basta atravessar a ponte Vasco da Gama, desde Lisboa em direção à Margem Sul do Tejo, em um percurso de cerca de 30 km a partir do centro, para vislumbrar uma realidade completamente da capital portuguesa: um município com apenas 55 mil habitantes, divididos em cinco freguesias.

Em Montijo há diversos supermercados, restaurantes, shopping e cinema. O acesso é facilitado por transporte público, seja de barco – que faz a travessia do rio a cada uma hora e meia, com a duração de 25 minutos e custo de 2,76€ o bilhete único, com ligação ao Cais do Sodré em Lisboa – ou ônibus. Também está em andamento a proposta de construção de um aeroporto, para ser complementar ao Humberto Delgado. Ou seja, bons motivos para considerar essa uma opção entre as cidades pequenas de Portugal. 

Ainda que o preço dos imóveis em Montijo tenha subido mais de 30% nos últimos dois anos, em 2018, era 50% mais barato viver lá do que em Lisboa: hoje o aluguel de apartamento de um quarto bem localizado gira em torno dos 600 Euros. 

Conforme o INE, o salário médio na cidade é 865€, mas é preciso considerar também a possibilidade de trabalhar em Lisboa, onde se encontram ainda mais oportunidades e em setores diversificados. A possibilidade de cruzar o Tejo também se estende ao quesito educação e lazer – ainda que neste segundo aspecto Montijo tenha diferentes propostas, desde festas religiosas e populares até vinícolas e parques naturais junto ao rio.

Portimão

Morar no Algarve com bom custo-benefício parece apenas um sonho, mas, tratando-se de Portimão – 65 km distante do aeroporto de Faro – essa pode ser uma realidade: o centro da cidade de 45 mil habitantes, que é sede do concelho de mesmo nome (com três freguesias e uma população total de quase 56 mil), fica apenas 2 km do mar.

A beleza das praias, a tranquilidade, as variadas opções de lazer (dentre elas o autódromo de Portimão, de fama internacional) e o acesso facilitado aos transportes públicos contribuem para que essa possa ser considerada uma boa opção dentre as cidades pequenas de Portugal para morar. Ainda assim, os motivos vão além.

Portimão conta com boas opções em termos de educação, tendo o Instituto Superior Manuel Teixeira Gomes – que oferece licenciaturas, mestrados e pós-graduações – e um campus da Universidade do Algarve, que funciona como uma extensão da Escola Superior de Gestão, Hotelaria e Turismo (ESGHT) – onde são lecionados os cursos de Gestão e Turismo.

O salário médio é 778€ (INE, 2019) e um apartamento na cidade de Portimão, com um quarto, custa em torno de 660€ mensais. Se optar por uma das outras duas freguesias os preços caem e é possível encontrar um bom lugar para morar a partir de 400 €.

Essas são apenas algumas sugestões, existem muitas outras. É preciso pesquisar, informar-se e ver qual delas se adequa melhor ao seu estilo de vida.

Por Carol Patatt

Jornalista e produtora de conteúdo, escolheu o interior de Portugal para fazer um mestrado em Jornalismo e dar um "pause" na vida de repórter esportiva no Rio de Janeiro - ainda que, ocasionalmente, trabalhe com futebol em terras lusitanas. Mostra a região da Serra da Estrela no canal no Youtube "saiadarotina" e também é pesquisadora via Erasmus na Universidad de La Rioja (Espanha).

Envie sua mensagem! Responderemos assim que possível.

SOBRE NÓS

O portal Nacionalidade Portuguesa é um canal de conteúdo exclusivo e atualizado sobre Portugal.

Para procedimentos jurídicos e administrativos, envolvendo a mudança de país, aquisição da Nacionalidade Portuguesa, vistos de residência, abertura de empresas, ou qualquer outro procedimento necessário no Brasil ou em Portugal, é indicado o escritório Martins & Oliveira Sociedade de Advogados.

A Martins & Oliveira Sociedade de Advogados é um escritório de advocacia especializado em procedimentos envolvendo Brasil e Europa, com atuação em Portugal, Itália e Espanha.

Conheça mais sobre o trabalho no site www.martinseoliveira.com.br.